segunda-feira, 7 de outubro de 2013

O FRUTO DA VIDEIRA...


A mão deste senhor que fotografei sexta-feira passada, faz recuar à meninice.
Oitenta e tantos anos, tal como a minha mãe, não fossem primos direitos. De sangue!
Era a festa de família das vindimas, nas quais os mais antigos, mesmo encostados a um sacho ou cajado, por honra e "obrigação", continuam na sua sabedoria teimosa, a sufragar. Isto e outras coisas tão íntimas que vou tentando perceber, ou melhor, recordar numa outra percepção temporal.
Recuei no tempo uns anitos e este senhor tem nome: tio Porfírio, de alcunha o "Forra", o poeta da nossa terra de Forninhos.
O  primeiro a comparecer na vindima da minha mãe e o mais velho em idade e se hoje aqui trago esta " Mão" é em sua homenagem e quem quer que ele representa,  Gente boa,  de bem!
Como disse aquando me meti nesta "odisseia" de Blog pessoal, sem experiência, o meu trabalho, ou melhor, o meu lema, é e será sempre o Blog dos Forninhenses.
Lá está hoje publicada a Festa na Vinha, família e amigos, como é timbre vindo de quem todos admiramos pelo seu trabalho, tão árduo como poucos imaginam. aluap. Tive o privilégio de lá ter andado.
Eu apenas aqui venho em tom pessoal  e intimista com pequenas histórias e este fim de semana voltei a nascer... recuando num ambiente de aldeia tão doce e saboroso.

20 comentários:

  1. Teus escritos sempre são legais e nos prendem. Linda foto e vi hoje lá np Forninhenses a festa muito linda! abração,linda semana,chica

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sabes Chica, antes que a memória me comece a atraiçoar, pretendo tentar deixar um pequeno registo de sentimentos advindos de coisas reais. Tão reais que a distância e ausência, ressuscitam.
      Bom sinal.
      Grande abraço.

      Eliminar
  2. Olá Xico, acabei de vir do vosso outro Blogue e eis que aqui enocontro esta pérola! Homenagem a esta Mão, mão de trabalho, mão de amor. E as lágrimas lá estão outra vez a soltar-se! É o meu avô aqui ao lado..Outrora a pisar as uvas... Um beijinho e obrigada. Ailime

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Neste turbilhão de recordações tão gémeas, também fico perturbado com as suas palavras.
      Pormenores tão puros como esta "Mão", de trabalho e amor aos quais passados anos damos outro valor.
      Felizmente ainda os vejo em vida real e registo.
      Com muita emoção mas com um gosto e carinho muito grande.
      Um abraço amigo, Ailime.

      Eliminar
  3. As vindimas é uma tarefa que ainda atrai, pois acho que tem muito de ligação à terra.
    Deixas aqui uma linda homenagem ao tio forra, morador na "Travessa do Poeta" e um forninhense que eu gosto e admiro e também ao trabalho de todos os agricultores que nesta aldeia fizeram o seu mundo. A meu ver, esta homenagem estende-se ainda a toda a gente boa (não fossemos nós afinal uma terra de gente boa) que levaram um pouco deste mundo para o sítio onde estão hoje.
    Um abraço e até depois...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olha Paula, nós amigos é o que andamos a fazer, fruto da Tua ousadia, Vai fazer exactamente de hoje a um mês, o quarto aniversário do teu/nosso " O Blog dos Forninhenses". Levantar raízes, procurar respostas e fazer registos dignos. Felizmente muitos tios "Forra" houve em Forninhos e sabes melhor que ninguém que este humilde espaço criado, teve o intuito quase minimalista de não "sufocar" com pessoalização da minha parte o sentido real e histórico da tua linha de orientação, Como tu dizes: " não fossemos nós afinal uma terra de gente boa".
      E continuar a contar histórias e estórias...Na defesa da nossa terra!
      Até já, amanhã temos de continuar... A Obra!

      Eliminar
  4. Sempre admirei o tio Porfírio, uma pessoa que sempre foi muito amiga dos meus pais e que hoje estou a viver na zona de Sintra graças a este senhor, foi o tio Porfírio que me arranjou o trabalho quando vim para Nafarros há 27 anos. OBRIGADA TIO PORFÍRIO.
    Parabéns Xico pelo teu blog.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado Maria pelos parabéns.
      Este blog é muito pessoal e sei os riscos que corro em me expôr.
      Sou um pouco parecido com o tio Fôrra, não fossemos ainda família, mas as pessoas e tu sabes, alegres e com menos preconceitos, dão a impressão de não serem levadas a sério. Chamam-nos malucos, porque aqueles" certinhos" é que são exemplos e levados a sério.
      A maioria falsos!
      E os "Fôrras" não sendo ricos, pelo menos estão e estarão sempre na memória, como o caso do tio Porfírio que tem em sua honra registada a Travessa do Poeta.
      Mainada!
      Beijos.

      Eliminar
  5. Bonito post, Xico! Linda foto de uma mão trabalhadora e forte!...
    Festa da Uva/Vinha! Muito lindo e significante este tema!!! Nascendo sempre para desfrutar e narrar crescentes histórias...

    Tchau... Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado Anete pelo carinho.
      Felizmente como de costume.
      Aquele abraço.

      Eliminar
  6. Olha,eu não sei qual o segredo dos portugueses para videiras tão lindas,mas creio ser essas mãos! Uma bela homenagem ao seu tio !Bjs,

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anne amiga,
      Talvez o segredo seja (em termos metafóricos), o mesmo com que uma mãe acaricia e ampara um filho...
      E os filhos sempre sentem o "perfume" dos progenitores.
      Abraço grande.

      Eliminar
  7. Olá meu amigo, tudo bem/
    Que linda mão cheia de vida e experiencia, quanto conhecimento eles tem.
    Que delicia esse cacho de uvas, já estão colhendo os frutos? Aqui é a partir de janeiro. Vou lá ver a linda festa no blog dos Forninhos.
    Tenha um ótimo dia.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Anajá.
      A delícia foi passar de recordações de infância ao local dessas.
      Tive nestes dias essa felicidade e tirando os ruidos sofisticados de máquinas agrícolas, a alegria e camaradagem estava igual!
      O coração de amigos e família, permanece intacto.
      Muito bom!
      Abraço grande.

      Eliminar
  8. Respostas
    1. Afinal é uma viagem.
      Obrigado por vires.
      Beijo.

      Eliminar
  9. Oi Xico, eu me pergunto, o que tem esta foto de uma mão com as marcas do tempo, e o cacho viçoso de uma uva, para mexer tanto com os meus sentimentos, um misto de saudade, talvez do meu avó, tínhamos uma ligação muito forte, um sentimento de ternura, de amor, também um pouco de tristeza, todos esses sentimentos passaram por mim a olhar esta foto, sabe-se lá porque...
    Abraços!!!

    ResponderEliminar
  10. Também me toca imenso, Fátima.
    Comecei a gostar do campo e de forma especial da vinha, pela mão do meu avô Francisco que desde que me recordo, me pegava na mão e contava a arte de plantar videiras e mais tarde fazer vinho.
    Uma empatia tão grande que ainda hoje o recordo, curiosamente sem saudade mas com algria.
    É essa mão que carinhosamente ainda hoje me acompanha.
    Abraço grande.

    ResponderEliminar
  11. Xico,

    Uma imagem que nos trás muitas definições.
    O fruto da terra, cuidado por mãos cheias de experiência de vida.
    Lembranças daqueles que fazem parte de nossas vidas, que trabalharam para o sustendo das famílias, e que nos deixaram muitos ensinamentos.
    Claro, o blog Forninhos é maravilhoso, e amo aprender sobre a sua terra.
    Um lindo dia! Beijos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E o poder que tem uma "Mão", meu Deus!
      Desde o dar e o tirar, basta o coração de cada um, a sua alma.
      Ela só por si, nada faz.
      Abraço, Lucinha.

      Eliminar